Seguindo a tendência mundial de implantação e consumo de energia renovável, a Prefeitura Municipal de Fortaleza selecionou os estudos do consórcio KL Serviços de Engenharia e Yasser Holanda Advogados Associados dentre três empresas participantes de uma PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) para a geração de energia limpa e eficiência energética para escolas e creches do município.

O Consórcio KL Engenharia/YHA apresentou uma solução para tornar eficiente o consumo energético, um plano de comunicação social e educação ambiental, juntamente com a utilização de painéis fotovoltaicos como fonte de energia elétrica, refletindo na diminuição do custo de energia e na redução de CO2 na atmosfera. Ao todo, foram consideradas que 490 unidades da Secretaria Municipal de Educação (SME) deverão receber medidas de eficiência energética, geração e distribuição de energia, além de um programa educacional sobre energias renováveis.

A estimativa é que a prefeitura reduza em 15% os custos com energia — o que equivale a uma redução média anual de R$1,6 milhão. Levando em consideração que, nas unidades educacionais do município, o consumo médio mensal de energia é de 1.291.540,83 kWh/mês, o estudo demonstrou que é possível a redução do consumo para 1.097.809,71 kWh/mês por meio da substituição do sistema de iluminação, da operação, do gerenciamento e do monitoramento do histórico do consumo de energia. Para o controle do consumo de energia foi prevista a utilização de um software especializado e a implantação de um Centro de Monitoramento e Controle de Eficiência Energética (CMCEE).

As ações que foram previstas nos estudos deverão proporcionar benefícios não só ambientais, mas também econômicos e sociais. Com o estudo de geração distribuída, foi possível prever a redução de aproximadamente 977,98 toneladas de CO2 da atmosfera. A implantação de usinas fotovoltaicas de energia solar no modelo remoto para o abastecimento das unidades educacionais como um todo, e no modelo in loco em algumas escolas, deverá ocasionar também redução da tarifa de energia.

Célio Oliveira Júnior, diretor-presidente da KL Engenharia explica que “A proposta é que sejam realizadas ações com foco em eficiência energética com a substituição de equipamentos de iluminação, que sejam instaladas mini usinas fotovoltaicas na categoria de autoconsumo remoto, além da instalação de micro usinas fotovoltaicas em oito escolas a serem selecionadas com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento de um programa educacional de impacto social e ambiental para a população local”.

A concessão prevista deverá durar 25 anos e a previsão é que em 12 meses as usinas propostas atendam a totalidade da demanda de consumo, gerando energia limpa e acessível. O projeto deverá ser realizado com investimento de financiamento a longo prazo que não deverá comprometer os recursos públicos.

Atualmente, a Prefeitura de Fortaleza está preparando a licitação para a implantação dos estudos selecionados pela PMI.