O PISF é o Projeto de Integração do Rio São Francisco, empreendimento do Governo Federal sob a responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), que tem como principal objetivo garantir a segurança hídrica para a região do semiárido por meio da integração das águas do rio São Francisco com os açudes e rios dos estados da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. Ao todo, 24 barragens distribuídas em 22 municípios são contempladas pelo PISF.

As intervenções envolvidas no Projeto vêm demandando a contratação de diversas obras e serviços pelo Governo, inclusive a de elaboração dos estudos e projetos técnicos de recuperação e atualização dos açudes inseridos no Sistema que teve a KL Engenharia como vencedora e assim contratada, e o DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) como contratante.

Dentre as atividades desenvolvidas pela KL, foram realizados estudos básicos, análise e diagnóstico das obras civis e equipamentos, projetos básicos e executivos de recuperação dos açudes e barragens e elaboração dos manuais de segurança, operação e manutenção do Sistema. Os projetos técnicos envolveram áreas distintas da engenharia, foram elas: civil, geotécnica, hidromecânica e elétrica. Todos estes serviços foram executados com base nas características físicas, operacionais e nas peculiaridades da infraestrutura hídrica instalada nos açudes existentes e nas projeções de expansão do Sistema.

Para atender às necessidades de controle e monitoramento das instalações foi desenvolvido um sistema de automação composto por uma Unidade de Aquisição e Controle (UAC), que está sendo implantada em cada açude. A supervisão deverá passar a ser feita remotamente a partir do Centro de Controle e Operação (CCO) no município de Salgueiro — PE ou na sede do DNOCS em Fortaleza — CE.

As ações para fins de adaptação dos açudes localizados nos eixos Norte e Leste onde acontece a captação das águas constituem um marco importantíssimo para as obras do PISF já que o sistema está passando pela primeira vez pelo protocolo de segurança instituído pelo SNISB (Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens), conforme determina a Lei Nº 12,334 de 20 de setembro de 2010.

Estas medidas irão contribuir para a redução de acidentes em obras deste porte. É o que explica Vanda Malveira, consultora da KL Engenharia. De acordo com ela, a operação de reservatórios exige um sistema eficiente e atual, o que só será implantado se suas estruturas civis estiverem em normais condições de conservação, seus equipamentos hidromecânicos estejam em perfeitas condições de funcionamento e suficientemente adaptados para interligação com os sistemas de operação adotados pelo Ministério da Integração Nacional. “O projeto de recuperação e adaptação das estruturas dos barramentos envolvidos no PISF tende a inaugurar um novo modelo de operação e manutenção, não somente para estruturas contempladas diretamente, mas para todas as instituições envolvidas”, esclarece Vanda.

Outro serviço de grande relevância que foi realizado buscando aumentar e garantir a segurança das obras de infraestrutura do PISF foi o desenvolvimento dos Manuais de Segurança, Operação e Manutenção que detalham as ações previstas para o funcionamento das obras em qualquer época do ano e sob qualquer demanda do empreendimento.

O desenvolvimento dos manuais foram de suma importância, pois eles descrevem os métodos e cuidados a serem adotados nas rotinas de operação das unidades. Todo desenvolvimento desses serviços foi feito dentro das normas de segurança para prevenir acidentes relacionados a construção ou manutenção inadequada dessas obras. Isto assegura a integridade das barragens, além de proteger as pessoas que vivem no entorno, bem como o próprio meio ambiente.

“Uma vez que a realidade atual exige muita responsabilidade nos critérios de segurança, o que só poderá ser entendido pela sociedade com a visibilidade de que os critérios de segurança estão sendo ampliados para todas as estruturas inseridas no contexto da Lei de Segurança”, ressalta Vanda Malveira.

Devido à complexidade do projeto, as obras do PISF vêm sendo realizadas em etapas desde 2007. Assim, algumas barragens que compõem o empreendimento ainda estão construção e reparo, e outras estão passando pelo processo de licitação.